05 abril 2006

Chaves

Chaves, mas que raio de chaves. Umas palpáveis, outras nem tanto. Umas abrem portas e lugares, outras guardam coisas e segredos, outras, ainda, decifram códigos e mensagens, e outras, ainda outras, abrem e criam fortunas.

Mas estas, estas minhas chaves só me lixam é a vida. Para além de me abrir a porta, do meu pequeno, modesto, mas acolhedor refúgio, deixam-me, também elas, aqui agarrado, sentado à beira do desespero, mas ao mesmo tempo, esperançado, que a hora chegará, e que a porta se abrirá, aliás, como todas as outras, que ainda esperam ser abertas, ou outras ainda, que esperam ser descobertas…

Chaves!!!
Enviar um comentário