20 julho 2004

O Velho

O velho caminhava pelo jardim quando reparou nela, e nesse momento sentiu-se tão jovem que poderia voltar a fazer aquilo que fazia nos seus tempos... Tempos esses em que ele conseguia alcançar quase tudo o que desejava... Quase tudo, pois ela era a única coisa que ele sempre desejara e ao mesmo tempo, tudo o que ela odiara.

Ela, era aquela com que todos sonhavam, mas ao mesmo tempo, aquela que não alcançavam. Ela era a verdadeira MUSA, a mulher que todos queremos, mas que não quer ninguém. E hoje, passados muitos anos, ela estava ali sentada, no banco do jardim... Bonita como sempre e com uns olhos de encantar qualquer um. O seu sorriso continuava igual ao da primeira vez em que ele a conhecera.

Cruzaram olhares e ela sorriu, o que lhe deixou perdido. Perdido entre recordações, pensamentos, imagens que lhe flutuavam pela mente e que lhe pareciam levar a algum lado. Ele piscou-lhe o olho, deu meia volta e pensou para sim mesmo - "chegou a hora".

E posto isso partiu. Partiu, porque finalmente tinha conquistado aquilo que mais desejava e mais não tinha a fazer neste mundo de sonhos e ilusões.


Santarém, 2004
Enviar um comentário