23 julho 2004

Aquela Viagem...

Dentro do avião olho e cheiro os últimos cheiros e as ultimas visões do sudoeste asiático. Recordo os momentos que tive, e aqueles que passei... Olho para o passado, e tento não pensar no Futuro longe da terra que aprendi a amar, a cidade onde vivi a minha juventude. Recordo os momentos alegres, os mais tristes, os acontecimentos e tudo aquilo a que chamamos vida... Paro para reflectir, no porque voltei e no porque parto. Cinco meses de volta pelo oriente passaram a voar e acabaram num abrir e fechar de olhos... Talvez o regresso tenha sido demasiado cedo por uma ilusão de algo que parecia mudar aquilo que não queria mudar... Neste momento, vejo e sinto que Errei. Pois aquilo que eu quero é mesmo aquela flor roxa, a flor que reguei quando precisava desabafar, a flor que me fez sorri, chorar, cantar, gritar,...

Aguardo a partida, e vejo à volta as vozes que se fazem ouvir. O Cantonês destaca-se dentro do avião, a língua pela qual me apaixonei, a língua que durante década e meia foi a voz da cidade que hoje vejo partir... Mais uma vez, olho e recordo, e reparo como o tempo voa, como os nãos passam sem uma pessoa dar por eles. – (...) –

Agora que faltam poucos minutos para partir, penso se esta será um “Adeus” ou só mais um “Ate Já”. Está quase a chega ao fim, mais uma passagem pelo Oriente e Agora vejo-me a pensar em quando é que poderei voltar a Ver e a Viver estes momentos únicos e belos que são, cada segundo neste continente onde aprendi e habituei, a Viver e a Amar.

Hong Kong, Agosto 2001
Enviar um comentário